ATUAÇÃO MULTIPROFISSIONAL AMBULATORIAL NO TRATAMENTO DA OBESIDADE

  • Caroline de Carvalho Castilhos FSG Centro Universitário
  • Andressa Camilo FSG Centro Universitário
  • Fabrício Rodrigues Borges FSG Centro Universitário
  • Valéria de Moraes Rosa FSG Centro Universitário
  • Jovania Rosalen FSG Centro Universitário
  • Leandro Vicente dos Santos FSG Centro Universitário
  • Lidiane Barazzetti FSG Centro Universitário
  • Joice Cadore Sonego FSG Centro Universitário
  • Joana Zanotti FSG

Resumo

INTRODUÇÃO/FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: A obesidade, patologia caracterizada pelo peso excessivo para a estatura, acompanhado do grande acúmulo de tecido adiposo, trata-se de um dos maiores desafios para saúde pública em todo o mundo (NCD RISK FACTOR COLLABORATION, 2016). De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a proporção de obesos com mais de 20 anos passou de 12,2% em 2003 para 26,8% em 2019 e ainda, no Brasil, 1 em cada 4 pessoas adultas estava obesa (IBGE, 2020). Para Müller et al. (2001), a obesidade é multifatorial, fatores socioeconômicos (educação, idade, sexo, rendimentos), políticas de saúde, ambientais (região, cidade, escola, tamanho da família) e estilo de vida, além da falta do estado em proporcionar políticas públicas que atuem de forma preventiva. Neste sentido, nota-se a necessidade pela busca de alternativas que visem a prevenção e o manejo desta tão importante condição da atualidade. A partir disso, tem-se observado a implementação de programas multidisciplinares como uma alternativa positiva na mudança de hábitos, peso corporal e índice de massa corporal (DE ARAUJO; SANTOS; ARAGÃO-SANTOS, 2017; SOWEK, 2020). Kiess et al. (2001) relatam que as estratégias para o tratamento da obesidade em crianças e jovens, deveriam partir de equipes interdisciplinares, com a participação dos especialistas desde o planejamento até a execução das atividades, envolvendo professores de educação física, especialistas em nutrição e psicólogos, incluindo também profissionais responsáveis pelos cuidados escolares, uma orientadora educacional. Uma equipe multidisciplinar ou multiprofissional de saúde é uma equipe de profissionais clínicos que trabalham unidos em prol do diagnóstico, tratamento e recuperação do paciente, assim, é priorizado um consenso nas decisões de cada intervenção. O trabalho desta equipe promove a reciprocidade entre as várias intervenções técnicas, cooperativas e a interação entre os profissionais (PEDUZZI, 2001). Desta forma, o objetivo do presente trabalho é investigar na literatura a eficácia de programas multidisciplinares no tratamento da obesidade.  MATERIAL E MÉTODOS: Foi realizada uma revisão da literatura, através das bases de dados do PubMed, Scielo e Google acadêmico, onde foram utilizadas as seguintes palavras-chave: multidisciplinar ou multiprofissional ou interdisciplinar e obesidade. Foram selecionados estudos que investigaram o papel do trabalho multiprofissional na prevenção da obesidade, em todos os idiomas. RESULTADOS E DISCUSSÕES: O trabalho de Bianchini et al. (2012), ao revisar artigos sobre intervenções multiprofissionais no contexto da obesidade publicados entre 2000 e 2010 no Brasil, apontou que, em todos os oito estudos analisados, o exercício físico esteve presente de alguma forma e em sete dos oito estudos, havia um profissional da Nutrição compondo a equipe de intervenção. No que se refere à atuação da Psicologia, apenas um estudo com adolescentes apontou melhora de variáveis psicológicas com a intervenção realizada, enquanto os demais sete estudos não tinham foco nesse aspecto das intervenções. Bianchini et al. (2012) ressaltaram também a necessidade de se implementar mais intervenções multiprofissionais no contexto da obesidade, visto que seu estudo concluiu que esse tipo de intervenção apresenta resultados significativos. Outro estudo, realizado com 63 participantes com sobrepeso ou obesidade, onde os indivíduos foram divididos em 3 grupos (controle, caminhada e Pilates, sendo que os dois últimos realizaram sessões de exercícios  de 60 minutos, 3 vezes na semana), a qualidade de vida melhorou, enquanto obteve-se uma diminuição dos níveis de ansiedade e depressão nos grupos caminhada e Pilates, comparando-se com o grupo controle. Isso demonstra que estes métodos podem ser utilizados como alternativas para a melhora dos níveis de qualidade de vida e distúrbios de humor nestes pacientes, o que também enfatiza a presença de profissionais como o fisioterapeuta em equipes multiprofissionais no atendimento de pacientes com sobrepeso e obesidade (VANCINI et al., 2017). CONCLUSÃO: O tratamento da obesidade deve ser acompanhado por uma equipe multiprofissional, composta por nutricionista, psicólogo, fisioterapeuta e educador físico, visto que, além da perda de peso há melhora na qualidade de vida dos pacientes assistidos de forma integral.

Biografia do Autor

Joana Zanotti, FSG

Nutricionista. Especialista em Clínica e Terapêutica Nutricional. Mestra em Ciências Médicas

Publicado
2022-07-11
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Resumo Expandido