ANÁLISE ENTRE A QUALIDADE DE VIDA E DORES OSTEOMUSCULARES EM TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL

  • Aline Pasa Saibe FSG
  • José Davi Oltramari

Resumo

Introdução: A indústria da construção civil é destaque entre os setores da economia nacional e é um dos que mais necessita de mão de obra, e no trabalho terceirizado na construção civil, há um ambiente insalubre, ausência de estrutura para atendimento das necessidades básicas dos operadores, inadequação e ausência de manutenção em equipamentos e a não utilização de equipamento de proteção individual (EPIs). Objetivo: O objetivo deste estudo é comparar a qualidade de vida de trabalhadores da construção civil e as dores osteomusculares associado a atividade laboral e propor formas de melhorar as condições trabalhistas destes indivíduos e da empresa.   Metodologia: Trata-se de um estudo epidemiológico analítico observacional, do tipo transversal, de abordagem quantitativa, com amostragem por conveniência. Resultados: o estudo contemplou o uso dos questionários QNSO e SF-36 associado à avaliação dos trabalhadores da construção civil, sendo constatada diferença estatisticamente significativa com maior prevalência de dor nas regiões de coluna lombar, seguindo por coluna dorsal, pescoço e joelhos, indicando uma qualidade de vida mais elevada no grupo que não apresentou dor/desconforto. Conclusão: A qualidade de vida quando comparada a índice de lesões/dor nos trabalhadores da construção civil, apresentam um índice desfavorável a esse perfil de indivíduos. A ergonomia pode funcionar como um elo entre produtividade, qualidade e segurança. Preservar a saúde de forma geral destes indivíduos através de políticas públicas eficientes beneficiam o coletivo e mantem o equilíbrio entre as partes.

Publicado
2022-07-11
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Artigo Completo