AVALIAÇÃO NA EFICÁCIA DA MODIFICAÇÃO DA DOBRADIÇA DE UMA PORTINHOLA DO COMPARTIMENTO DE BATERIA EM UM ÔNIBUS

  • Guilherme Bizzotto FSG
  • Everson Born FSG
  • Gustavo Alberto Ludwig

Resumo

A indústria automotiva atualmente enfrenta o desafio de reduzir o impacto ambiental de seus veículos, ao mesmo tempo em que oferece produtos cada vez mais seguros e confortáveis para seus clientes. Neste contexto, a redução de peso dos veículos se apresenta como uma estratégia fundamental para diminuir os gastos com combustível e as emissões de dióxido de carbono (CO2), que são um dos principais gases de efeito estufa responsáveis pelo aquecimento global. Diante disso, o presente resumo tem como objetivo apresentar uma análise detalhada das possibilidades de redução de peso em ônibus por meio da redução da espessura de dobradiças, visando propor soluções eficazes e viáveis que possam contribuir para a diminuição dos gastos com combustível e das emissões de CO2 no meio ambiente. Por isso, é importante buscar soluções que possam contribuir para a redução dessas emissões, como a avaliação na eficácia da modificação da dobradiça de uma portinhola do compartimento de bateria em um ônibus. Para a modificação da dobradiça, é necessário levar em consideração o material a ser utilizado, pois o mesmo precisa possuir algumas características como o baixo peso, a resistência ao desgaste, resistência ao impacto, resistência a corrosão, resistência ao atrito e entre outros, tendo em vista que o peso do ônibus é um fator crucial para a redução de emissões de poluentes. Conforme cita Murray (1993), sabemos que no estado sólido, os metais possuem uma estrutura cristalina, ou seja, os átomos ocupam posições bem definidas, o que é responsável pela facilidade na determinação de suas propriedades. Para a satisfação do cliente, quando o mesmo compra um ônibus e também principalmente pela segurança é de grande relevância que dentre as propriedades do material para a fabricação da dobradiça ressaltamos a questão do desgaste do mesmo, pois como diz Garcia, Spim e Santos (2012), o desgaste está relacionado com a perda progressiva de massa, que pode acarretar em danos superficiais e alterações dimensionais, que comprometem a operacionalidade dos componentes. Em vista disto, a preocupação com o atrito é corrente no ambiente industrial. Identificamos os tipos de desgastes que podemos encontrar nas dobradiças como o desgaste adesivo que ocorre quando as superfícies em contato com a dobradiça são sujeitas a altas pressões, o que faz com que haja uma interação molecular entre as superfícies que resulta na adesão das mesmas. Quando a dobradiça é movimentada, as superfícies aderidas são deslocadas uma em relação à outra, causando a remoção de partículas e gerando desgaste. Já no desgaste abrasivo ocorre quando partículas estranhas entram em contato com a superfície da dobradiça, causando um desgaste por meio de atrito. O tipo de abrasivo pode variar, podendo ser desde partículas de poeira até pequenas partículas de metal, o que pode resultar em danos significativos à dobradiça. Também possuímos o desgaste por fadiga da superfície que basicamente é quando a dobradiça é submetida a carregamentos repetitivos, causando micro-trincas na superfície da dobradiça. Com o tempo, essas micro-trincas se expandem e se unem, resultando em uma fratura da superfície da dobradiça. E por fim, o desgaste corrosivo é causado pela interação da dobradiça com substâncias corrosivas, como água salgada, produtos químicos e poluentes atmosféricos. A corrosão pode enfraquecer a estrutura da dobradiça, causando danos irreparáveis. Após o conhecimento dos possíveis problemas e premissas que conteríamos no desenvolvimento e fabricação da dobradiça é necessário realizarmos algumas etapas antes da fabricação como o desenvolvimento do projeto por meio de softwares e a análise da estrutura. Um exemplo é o software de elementos finitos, que permite simular o comportamento da peça sob diferentes cargas e condições de uso. Um exemplo é o software de elementos finitos, que permite simular o comportamento da peça sob diferentes cargas e condições de uso. Com base na análise de possíveis problemas e premissas, bem como na realização do projeto e na análise estrutural por meio de elementos finitos, a modificação da espessura da dobradiça da portinhola de compartimento de bateria em ônibus foi bem-sucedida. Isso é um grande avanço para a questão socioambiental, já que a produção reduzida de poluentes pode ajudar a mitigar os efeitos danosos da poluição no meio ambiente. Portanto, é crucial que as empresas continuem a buscar soluções eficazes e sustentáveis para suas operações, levando em consideração o impacto de suas atividades no planeta e na sociedade como um todo.

Publicado
2023-08-14
Seção
FSG Caxias do Sul - Sustentabilidade e Inovação